Avatar

On Air

Jazz Faz Tarde Jazz Faz Tarde / 23:00 - 24:00
Voz Online

Voz Online

LINGUA IGNOTA, o projecto da pianista e vocalista Kristin Hayter, tem sido imparável – tanto que já ultrapassou qualquer fronteira que possa definir o que é o underground, isto, tendo em conta a opressiva visceralidade da sua música, bem como os negros temas que aborda. Artista de formação clássica, LINGUA IGNOTA traduz o vocabulário do barroco para uma linguagem própria onde o contrapõe e justapõe a camadas de ruído, distorção, e de exorcismo dos seus demónios internos. Sinner Get Ready é o seu mais recente trabalho. Nele Kristin Hayter tece harmonias em camadas e instrumentos populares em uma plataforma formidável para expressar sua relação confusa com o cristianismo

O artista americano Nasir bin Olu Dara Jones popularmente conhecido como Nas lançou um novo álbum de estúdio intitulado “King's Disease II”. Todas as faixas são impressionantes e não vai deixar de adicionar todas à sua lista de favoritos. King's Disease II é a segunda edição da primeira versão King's Disease, que foi premiado com o prémio para o melhor álbum de Rap, Grammy 2021 Awards.

Pode fazer o download aqui.

O terceiro álbum do grupo Cruzumana, "Algo Está a Mudar", com edição digital a 9 de Agosto. Os Cruzumana surgiram em Novembro de 2001. Instrumentalmente, o colectivo tem uma base Rock (com toda a abrangência que este rótulo permite). No entanto, e ao contrário do que é comum neste estilo, a utilização ponderada de expansões e retracções de dinâmica permite que cada música seja abordada como uma narrativa, transportando assim as emoções da estória à sensibilidade do ouvinte. Outra característica vincada na personalidade dos Cruzumana é a utilização sistemática das suas quatro vozes, o que permite a construção de teias ambientais capazes de causar tensão extrema com a mesma facilidade com que embalam o ouvinte num mar de confortáveis encadeamentos harmónicos. Em contraste com a complexidade e melodia das composições encontramos a crueza do som, muito on-the-face, sem recorrer aos retoques de produção normalmente utilizados, o que permite aos Cruzumana soarem ao vivo o que soam em gravação. Utilizando toda uma riqueza de expressão que só o português permite, e seguindo um princípio rígido de intemporalidade, é com extremo cuidado que os textos de cada estória são desenvolvidos. Tendo como elemento central das narrativas um personagem tão humano quanto qualquer um de nós e como pano de fundo um mundo que é o nosso, a linguagem predominantemente poética torna-se veículo para as confissões, desabafos, lições de dor e de prazer com as quais o nosso Errante estabelece uma relação de partilha com o leitor/ouvinte. No seguimentos dos seus dois trabalhos anteriores, "E tu... tudo bem?" e "Mais que um esboço", Este "Algo está a mudar" é composto por doze temas, doze caminhos, doze vidas que se unem para que mais um ciclo continue. Esperamos que tenham tanto gosto em acompanhar estes doze passos, como nós tivemos em desenvolver todo o conceito, ao longo desta última década. A banda Margem Sul do Tejo com 20 anos de existência, são musicalmente marcados por jogos de quatro vozes e pela crueza de um rock cruzado com ambientes étnicos e atmosféricos. Este colectivo pauta a sua poesia por uma acirrada defesa da língua portuguesa.

Pode escutar aqui

Liars - The Apple Drop

in Discos
agosto 04, 2021

Apesar de ser conhecido por ter uma composição um tanto fluida desde sua formação em 2000, parece que Liars agora se tornou a preocupação do seu único membro constante desde a sua formação, Angus Andrew. Isso não quer dizer que Andrew assumiu toda a instrumentação neste disco, o décimo álbum a ser lançado com o nome dos Liars.
The Apple Drop traz o baterista australiano de jazz de vanguarda Laurence Pike, o multi-instrumentista Cameron Deyell e a letrista Mary Pearson Andrew para um banquete de pop misterioso, onírico.
Isso não quer dizer que The Apple Drop seja uma peça de uma nota só. Noutro lugar, há uma linha de baixo quase como a de Peter Hook e um ritmo agitado em "Big Appetite", a névoa um pouco tonta e narcótica de "The Start" e a estranha, mas bombástica "My Pulse to Ponder". No entanto, a desorientação espaçada geralmente parece ter sido o objetivo de Andrew com este lançamento, e está gravada no DNA do álbum.
O Apple Drop termina com o emparelhamento de “Acid Crop” e “New Planets New Undoings” e é aqui que Andrew e seus companheiros finalmente atingem um pico. “Já ouvi tudo antes”, ele canta, mas, para ser justo, The Apple Drop é mais um passo à frente na jornada sónica em constante evolução de Liars, que geralmente tem algo de novo para digerir e raramente pode ser acusado de voltar atrás do mesmo terreno antigo - ao contrário de muitos outros que surgiram da mesma forma daquela cena neo-punk de Nova York.

Pág. 7 de 74

VOZ ONLINE é o nome da rádio licenciada pela Associação Voz Online Rádio - ARDVOZ.

  •  

Registo na ERC nº 700077
  • spotify6